1/2
  • Por Roque Tomazeli*

Pequenos negócios gaúchos ampliam faturamento e projetam crescimento no ano

Os pequenos negócios gaúchos fecharam o primeiro trimestre do ano com números positivos e que apontam uma melhora no ambiente empreendedor e econômico no Estado. Dados do Sebrae RS indicam que 27% das empresas registraram aumento de faturamento no comparativo entre os meses de fevereiro e março deste ano. O percentual saltou 9 pontos e atingiu o maior índice desde julho de 2021.

Pesquisa do Sebrae mostra otimismo entre os pequenos empreendedores gaúchos


Todos os setores indicaram aumento no faturamento, sendo os maiores percentuais no setor de serviços e indústria. E, no que depender do otimismo dos empreendedores, a tendência deve ter sequência: 76% dos entrevistados têm expectativa de aumento de faturamento nos próximos 6 meses. Desses, 58% acreditam que o aumento será de até 30%.


Os dados são da 21ª edição da Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios do Sebrae RS. O estudo foi realizado entre 22 de março e 12 de abril, com intervalo de confiança de 95% e margem de erro de 5,4%.


DESTAQUES

Outros importantes indicadores econômicos também se destacam na pesquisa e reforçam uma perspectiva geral favorável para os negócios nos próximos seis meses no Estado conforme a visão dos empreendedores. Entre os entrevistados, 50% têm a expectativa de manter seu negócio, enquanto que 44% manifestaram a intenção de expandir. Em relação ao pessoal, 41% querem manter o quadro funcional, e 31% pretendem aumentar o número de empregados. A redução de pessoal figura como expectativa para apenas 2%.


SUSTENTABILIDADE

O estudo do Sebrae RS ainda revela que cada vez mais ganha destaque na pauta dos pequenos negócios a sustentabilidade. A partir de questionamento espontâneo, os empresários indicaram algumas das práticas sustentáveis mais disseminadas nas empresas.


– Uma gestão que concilie as questões de governança, atenção com o social e práticas sustentáveis, sem comprometer a viabilidade econômica do negócio, é uma preocupação cada dia mais presente no planejamento dos empreendedores de todos os portes, inclusive pela crescente demanda dos consumidores por produtos e serviços que tenham origem em processos sustentáveis – diz o diretor-superintendente do Sebrae RS, André Godoy.


PRÁTICAS SUSTENTÁVIES MAIS ADOTADAS

Descarte adequado do lixo (separação) 46%;


Economia de energia desligando os equipamentos e aparelhos da tomada 39%;


Comunicação direta e transparente com colaboradores, fornecedores e clientes 38%;


Uso eficiente do ar condicionado 26%;


Redução de resíduos descartáveis 26%;


Uso de materiais recicláveis ou biodegradáveis 13%;


Utilização de fontes alternativas de energia (solar e eólica, por exemplo) 13%;


Parceria com cooperativas de recicladores e doação de resíduos recicláveis 13%;


Dá preferência os fornecedores com práticas socioambientais 12%;


Foca os processos no reuso, transformação e reciclagem 11%;


Utilização de aparelhos elétricos fora do horário de pico 10%;


Promovendo campanhas de doação 9%;


Reutilização dos resíduos da produção do meu negócio 8%;


Desenvolvimento de projetos sociais com as comunidades locais 8%;


Captação e aproveitamento da água da chuva 4%.



* Com Moglia Comunicação Empresarial


Crédito imagem: divulgação