1/2
  • Por Roque Tomazeli

Os Correios na Várzea Grande


A decisão da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) de fechar a agência da Várzea Grande é um retrocesso inaceitável para comunidades como a local e da região que lutaram durante anos pela conquista do serviço postal.

Buscam os serviços da agência dos Correios moradores da Vila do Sol, Altos da Viação Férrea e de outros pontos da Várzea Grande e da Serra Grande, postando e retirando correspondências, efetuando pagamentos no banco postal ou despachando encomendas.

Até usuário com endereço no Centro da cidade ocupa caixa postal na Várzea Grande – na agência da Rua Garibaldi as caixas estão todas alugadas e os interessados devem entrar em fila de espera.

Tudo isso e mais o agravante de os Correios não atenderem muitas das localidades citadas acima com o elementar serviço de entrega de correspondências, renovada queixa dos moradores de parte da Várzea Grande e região.

Assim sendo, somando uma localidade com outra, talvez ao redor de 10 mil pessoas deixem de contar com um serviço público relevante próximo de suas casas, já a partir de julho deste ano, uma vez mantida a decisão dos Correios.

Mais uma coisa pesa contra a transferência dos serviços postais para a agência da Rua Garibaldi, no congestionado Centro da cidade: a tendência à descentralização dos serviços públicos em Gramado, a fim de aliviar as tensões do trânsito.

Roque Tomazeli

O autor é jornalista e editor do Repórter Gramado

#CorreiosVárzeaGrande #CorreiosGramado #SerraGrande #RepórterGramado