1/2
  • Por Roque Tomazeli

Dinheiro da Operação Consorciada Planalto gasto como recurso livre

Os recursos relativos à Operação Consorciada Planalto, pagos pelo Hotel Master Premium à Prefeitura, até julho de 2017, foram gastos de maneira diferente do originalmente previsto em lei.

Crédito foto: Divulgação | CM

Foi o que informou a Secretaria da Fazenda ao vereador Everton Michaelsen (MDB, foto), que havia encaminhado um requerimento ao Executivo solicitando explicações. Segundo a informação oficial, o dinheiro recebido, até julho de 2017, serviu para o pagamento de despesas gerais.

A questão diz respeito aos termos da Operação Urbana Consorciada Planalto – Lei 3509, de dezembro de 2016, com alterações introduzidas pela Lei 3569, de julho de 2017.

A partir da publicação da alteração à lei (3569/2017), o dinheiro passou a ser depositado em conta específica e, conforme o vereador Michaelsen, tem um saldo de aproximadamente R$ 557 mil.

INTERESSE

Em março deste ano, o vereador Luia Barbacovi (Progressistas) também encaminhou um requerimento solicitando informações a respeito do assunto.

Na ocasião, Barbacovi lembrou que a empresa acertou com a Prefeitura um pagamento parcelado de R$ 7 milhões, para aplicação em obras públicas nas imediações do hotel, que fica na Rua Carlos Lengler Filho, no Bairro Planalto.

#OperaçãoConsorciadaPlanalto #EvertonMichaelsen #RepórterGramado