top of page
  • Por Roque Tomazeli*

“Mussum, O Filmis” vence no Festival de Cinema de Gramado

“Mussum, O Filmis”, do diretor estreante Silvio Guindane, sobre a trajetória de vida de Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, conquistou seis Kikitos e foi grande vencedor do 51º Festival de Cinema de Gramado. Na noite de premiação, no Palácio dos Festivais, os longas “Tia Virgínia” (cinco prêmios) e “Mais Pesado é o Céu” (quatro prêmios) também foram destaque. O documentário “Anhangabaú”, de Lufe Bollini, e o longa-metragem gaúcho “Hamlet”, de Zeca Brito, foram os melhores filmes em suas mostras.

Noite de premiação no Festival de Cinema de Gramado, sábado 19


OS MELHORES DO 51º FESTIVAL DE CINEMA

Longas brasileiros Filme: “Mussum, O Filmis”, de Silvio Guindane;

Direção: Petrus Cariry, por “Mais Pesado é o Céu”;

Ator: Aílton Graça, por “Mussum, O Filmis”;

Atriz: Vera Holtz, por “Tia Virgínia”;

Roteiro: Fábio Meira, por “Tia Virgínia”;

Fotografia: Petrus Cariry, por “Mais Pesado é o Céu”;

Montagem: Firmino Holanda e Petrus Cariry, por “Mais Pesado é o Céu”;

Trilha musical: Max de Castro, por “Mussum, O Filmis”;

Direção de arte: Ana Mara Abreu, por “Tia Virgínia”;

Atriz coadjuvante: Neusa Borges, por “Mussum, O Filmis”;

Ator coadjuvante: Yuri Marçal, “Mussum, O Filmis”;

Desenho de som: Rubem Valdés, por “Tia Virgínia”;

Prêmio especial do júri: Ana Luiza Rios de “Mais Pesado é o Céu”;

Menção honrosa: Vera Valdez, por “Tia Virgínia”;

Menção honrosa: Martin Macias Trujillo, por “Mussum, O Filmis”;

Júri da crítica: “Tia Vírginia”, de Fábio Meira;

Júri popular: “Mussum, O Filmis”, de Silvio Guindane.

Longas gaúchos Filme: “Hamlet”, de Zeca Brito;

Direção: Zeca Brito, por “Hamlet”;

Ator: Fredericco Restori, por “Hamlet”;

Atriz: Carol Martins, por “O Acidente”;

Roteiro: Marcelo Ilha Bordin e Bruno Carboni, de “O Acidente”;

Fotografia: Bruno Polidoro, Joba Migliorin, Lívia Pasqual e Zeca Brito, por “Hamlet”;

Direção de arte: Richard Tavares, de “O Acidente”;

Montagem: Jardel Machado Hermes, de “Hamlet”;

Desenho de som: Kiko Ferraz, Ricardo Costa e Cristian Vaz, por “Céu Aberto”;

Trilha Musical: Rita Zart e Bruno Mad, por “Céu Aberto”;

Júri popular: “Sobreviventes do Pampa”, de Rogério Rodrigues.

Longas documentais Filme: “Anhangabaú”, de Lufe Bollini.

Curtas brasileiros Desenho de som: Kiko Ferraz, por “Sabão Líquido”.

Trilha musical: Mano Teko e Aquahertz, por “Yãmî-Yah-Pá”;

Direção de arte: Felipe Spooka e Jacksciene Guedes, por “Casa de Bonecas”;

Montagem: Luiza Garcia, por “Camaco”

Roteiro: Fabiano Barros e Rafael Rogante, por “Ela Mora Logo Ali”;

Fotografia: Morzanel Iramari, por “Mãri-Hi – A árvore do Sonho”;

Atriz: Agrael de Jesus, por “Ela Mora Logo Ali”;

Ator: Phillipe Coutinho, por “Sabão Líquido”;

Prêmio especial do Júri: “Mãri-Hi – A Árvore do Sonho”;

Menção honrosa: “Cama Vazia”, de Fábio Rogério e Jean-Claude Bernardet;

Curta júri da crítica: “Camaco”, de Breno Alvarenga;

Filme pelo júri popular: “Ela Mora Logo Ali’, de Fabiano Barros e Rafael Rogante;

Direção: Mariana Jaspe, por “Deixa”;

Filme: “Remendo”, de Roger Ghil.

Canal Brasil de Curtas

Filme: Yãmî-Yah-Pá”, de Vladimir Seixas. Filmes Universitários Filme: Cabocolino, de João Marcelo.

*Com Pauta – Conexão e Conteúdo


Crédito foto: Edison Vara/ Pressphoto


Comments


bottom of page