1/2
  • Por Roque Tomazeli

Hotelaria e gastronomia do RS temem encerrar 60% das atividades

Uma pesquisa realizada entre sindicatos de hospedagem e de alimentação no Estado apontou que se o setor não voltar logo ao trabalho, mais negócios serão fechados e demissões e endividamento aumentarão. O resultado foi divulgado nesta quinta-feira, 1º.

No Centro: Praça Major Nicoletti deserta reflete o cenário atual em Gramado


OS PRINCIPAIS DADOS

59,8% das empresas da área podem encerrar suas atividades de forma definitiva nos próximos 60 dias;


92,8% das empresas demitiram e 7,2% mantiveram o quadro de colaboradores completo;


70,9% das empresas acreditam que em um ano, após o final das restrições, o cenário econômico poderá melhorar;


56,6% das empresas tiveram algum tipo de redução de mais de 70% no faturamento;


66,1% das empresas possuem dívidas – 26,3% na esfera estadual, 20,6% no plano municipal e 53,1% federal;


45,6% do faturamento da hotelaria e 71,8% do faturamento da gastronomia (onde o consumo é maior das 19h às 22h, contudo deve fechar até às 18h) acontecem nos finais de semana;


PARTICIPAÇÃO

A pesquisa considerou dados das empresas de fevereiro de 2020 a fevereiro de 2021 e teve a participação de 13 entidades representativas no Estado, incluindo o Sindicato da Hotelaria, Restaurantes, Bares e Similares da Região das Hortênsias – Sindtur.


Crédito foto: Roque Tomazeli