1/2
  • Por Roque Tomazeli

O centenário do Hotel Bertolucci, o primeiro de Gramado

A partir de uma pensão, comprada de uma prima chamada Catarina Bertolucci, em 1918, o carreteiro Henrique Bertolucci, nascido em 1880 na região de Caxias do Sul, estabeleceu em Gramado o Hotel Bertolucci Familiar.

Crédito foto: Divulgação | Drecksler e Koppe

Hotel Bertolucci (faria divisa, atualmente, com o Hotel Serra Azul e o prédio da família Bezzi, na Borges de Medeiros)

O 'hotel dos turistas', como ainda lembram moradores mais antigos da cidade e registraram os historiadores Carlos Gilberto Drecksler e Irací Casagrande Koppe no livro “Era uma vez...! relatos de Gramado”, de 1994.

No início do negócio, duas camas de ferro e duas de lona para os hóspedes e uma farta mão de obra para o novo empreendimento, composta pelo casal Henrique (viúvo, cinco filhos do primeiro casamento) e Pierina Stanguerlin Boff (viúva, três filhos do primeiro casamento), e mais cinco filhos da nova união.

Em seu livro “Gramado ontem e hoje”, de 1973, Mário Pizetta destacou que, na época, o progresso era tão atuante que em junho de 1918 surgiram uma agência de correio e um escritório do Banco Nacional do Comércio – a criação do Município de Gramado foi em 15 de dezembro de 1954.

“Ainda em 1918, é inaugurado o Hotel Bertolucci, dirigido por Henrique Bertolucci e auxiliado por sua enorme família, tronco de tantas outras atuais”, citou Pizetta.

No início dos anos 20 do século passado, o trem “dá o seu primeiro apito”, trazendo veranistas árabes, judeus, alemães, italianos e portugueses.

No auge, o empreendimento da família Bertolucci teve 50 quartos, 100 camas de ferro, lavatórios, baldes e bacias esmaltadas brancas, colchões de crina, acolchoados de lã e travesseiros de penas de galinha feitos artesanalmente.

Da cozinha de Maria Mineira (32 anos no hotel) saiam pratos especiais para o salão de refeições com toalhas com renda de crochê, galheteiros, guardanapos engomados, pinturas decorativas de Maximiliano Caspar nas paredes e espelhos importados de Portugal, conforme descreveram Drecksler e Koppe.

NOVOS TEMPOS

Por volta de 1940 foi inaugurado o Parque Hotel (agora Centro de Cultura Arno Michaelsen), veranistas passaram a comprar terrenos na “Vila Planalto” e, em 1964, o serviço ferroviário acabou desativado. Com isso, os antigos e já desgastados hotéis de Gramado, a exemplo do Bertolucci, foram fechando, dando lugar para um novo modelo de turismo.

100 anos depois do pioneirismo de Henrique Bertolucci, Gramado tem cerca de 200 meios de hospedagem oficiais, podendo chegar a 600 contando os irregulares, catalogados em sites como o Booking, segundo o então presidente do SindTur, Fernando Boscardin, em entrevista ao Repórter Gramado em 2017.

.

#HotelBertolucci #RepórterGramado