1/2
  • Por Roque Tomazeli*

Sebrae: mais da metade das empresas gaúchas remodelaram o negócio na pandemia

Empreendedores apostam em novas habilidades, ferramentas e na oferta de novos produtos e serviços como estratégia para manter a competitividade em meio aos desafios impostos pela pandemia, conforme pesquisa do Sebrae. Os dados coletados mostram que 57% das empresas informam ter remodelado suas atividades no período, especialmente no que diz respeito à adoção de ferramentas digitais para vendas e relacionamento com o cliente (54%), utilização de trabalho/atendimento remoto (32%), mudança de produto/serviço (29%) e readequação de estrutura física (27%).

Diretor-superintendente do Sebrae RS, André Vanoni de Godoy, entende que o ambiente de negócios tem melhorado e as oportunidades de novos mercados e expansão de clientes têm surgido


A fonte também informa que uma em cada três empresas diz que o nível de atividade retornou ou está superando o nível pré-pandemia. O tempo estimado para recuperação é entre 6 e 12 meses para 36% dos negócios que ainda não retornaram as atividades aos níveis pré-pandemia.


No que tange a busca por recursos, uma em cada cinco empresas buscou crédito, sendo boa parte para pagar contas (47%), mas também para comprar máquinas e equipamentos (37%), o que indica otimismo por parte destes empreendedores. O valor médio obtido foi de R$ 57 mil.

Os dados são da 16ª edição da Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios na Crise desenvolvida pelo Sebrae RS e refletem a tendência e o otimismo na retomada de setores significativos da cadeia econômica gaúcha frente à ampliação da vacinação.


APRENDIZADO

A crise também impulsionou o aprendizado e a valorização de novos conceitos e processos por parte dos empreendedores gaúchos, que identificaram oportunidades, tais como:

Ter uma reserva financeira (56%);


Estar aberto às mudanças (52%);


Bom controle de custos (43%);


Comunicação com as partes interessadas - clientes, fornecedores e colaboradores (39%);


Relacionamento e vendas pelas redes sociais (33%);


Ler o cenário e se adaptar rapidamente (33%);


Presença no ambiente digital (38%);


Planejamento (37%).

Em relação ao futuro do ambiente de negócios, o estudo indica que 67% dos empresários acreditam na melhora da situação do ramo de atividade (frente aos 65% em agosto) ao passo que 58% creem na melhora da economia gaúcha (frente aos 56% de agosto).

A pesquisa foi realizada de forma on-line entre os dias 14 e 30 de setembro de 2021 (divulgada quarta-feira, 20) e contou com uma amostragem de 428 respondentes. O nível de confiança é de 95% e margem de erro de 4,7%.

*Com informações de Moglia Comunicação Empresarial – Assessoria de Imprensa Sebrae RS


Crédito foto: divulgação