top of page
  • Por Roque Tomazeli*

Gramado à espera de um cadáver

O caos de fios e cabos soltos ou mal instalados verificado nos postes de energia elétrica em Gramado deixou de ser um caso de estética que emporcalha a cidade para se transformar igualmente num caso de segurança pública. Nos primeiros dez meses de 2021, para exemplificar os riscos, no Estado três trabalhadores de empresas de telefonia morreram em contato com a rede energizada (Jornal Correio do Povo, 28/10/21).

Rua São Pedro, Centro


Ainda na matéria do jornal, o superintendente da CEEE Equatorial, Julio Hofer, explicou que “a fiação está sendo lançada muito próxima da rede de energia e acaba ocorrendo o contato com a rede energizada da CEEE o que resulta num choque elétrico".

Rua Leopoldo Rosenfeldt, Planalto


Ou seja, presumo, a mesma fiação que desce dos postes e fica espalhada pelas calçadas de Gramado, amarradas em árvores e até em cercas, tem o potencial de ferir gravemente e até de matar. Em janeiro de 2012, recordo, uma menina de sete anos morreu eletrocutada em Canela e as empresas OI S/A e Rio Grande Energia S/A foram condenadas na 2ª Vara Civil da cidade a pagar indenização à família – mas recorreram.

Rua Reinaldo Bertolucci, Planalto


No TJ/RS (agosto de 2017), em trecho o desembargador Marcelo Cezar Muller, relator do recurso, citou que: “Os postes de luz e telefonia, já que compartilhados, devem apresentar mínimas condições de manutenção, a fim de que não apresentem riscos aos consumidores e aos demais. No caso dos autos, houve demora injustificável para o conserto do equipamento.” A decisão condenatória de primeira instância foi mantida.

Avenida das Hortênsias, Centro


Voltando ao quadro calamitoso de Gramado (já abordado neste site em mais de uma ocasião), é preciso enquadrar todo o setor relacionado às instalações de telefonia, TV a cabo e fibra ótica para que zele pela qualidade dos serviços prestados e pela segurança de moradores e visitantes.


* O autor é jornalista diplomado e editor do site Repórter Gramado.


Crédito fotos: Roque Tomazeli (imagens obtidas em diferentes momentos, sujeitas a alterações).


*Texto atualizado às 10h36, corrigindo pontuação e concordância.



Comments


bottom of page