top of page
  • Por Roque Tomazeli*

Atração natural em Canela, Parque do Caracol completa 50 anos

O Parque do Caracol, em Canela, completa meio século. Para comemorar a data, o atrativo de 25 hectares prepara uma série de ações a partir do dia 1º de agosto. Conforme estimativa, 350 mil pessoas visitam o parque anualmente.

Cascata do Caracol


São 25 hectares de Área de Preservação Permanente (APP) e um bioma diversificado onde o visitante encontra cachoeiras, trilhas, mirantes e a vista para a Cascata do Caracol, uma queda d’água de 131 metros equivalente a um prédio de 40 andares.


Além de seus atrativos naturais, o parque oferece opções de gastronomia, compras, um observatório com visão 360º, um centro histórico, quadras esportivas, churrasqueiras e um passeio de trenzinho na Estação Sonho Vivo, que funciona há 30 anos.


ANIVERSÁRIO

Para celebrar o aniversário, o empreendimento, que passou a ser administrado pela iniciativa privada em dezembro do ano passado, prepara uma série de atividades para o público. No dia 1º de agosto, por exemplo, está previsto entrega de balões comemorativos, distribuição de taças de espumante, música ao vivo e apresentações circenses para toda a família. Outras ações especiais em alusão à data devem acontecer ao longo de todo o ano.


NOVIDADES

Com o Passaporte na Trilha Perfeita, um mapa que indica os oito principais pontos de visitação do parque (Observatório Panorâmico, Mirante Cascata do Caracol, Mirante do Moinho, Mirante das Corredeiras, Mirante da Barragem, Centro Histórico e Ambiental, Restaurante Sabor e Flor e Estação Sonho Vivo), o visitante carimba o passaporte. Ao final da visitação, quando completar todos os carimbos, o portador ganha um brinde especial.

HISTÓRIA

A história do Parque do Caracol tem início em 1867, com a chegada da família alemã Wasem na região da cascata, inicialmente denominada como “fundos do Faxinal”, onde a cascata é inicialmente intitulada como “Cascata Wasem”.

Guiomar Schmitt Wasem e Guilherme Wasem, o casal pioneiro vindo de Novo Hamburgo para Canela


Segundo registros históricos, a partir de 1900 já era possível observar o desenvolvimento do Caracol, surgindo os primeiros hotéis, casas de veraneio e pequenos comércios. Outro ponto importante foi a implantação da Companhia Florestal, em 1913, para extração da madeira no Caracol, com cinco serrarias e novas estradas. Em 1917, foi fundada a primeira escola (Escola Isolada do Caracol) para alfabetização de crianças e adultos.


Ainda de acordo com relatos, Pedro Nunes, herdeiro da família, percebeu que as terras naturais do Caracol seriam um atrativo turístico buscado como destino de viagens no Sul, e construiu, em 1938, uma represa e um moinho para geração de energia elétrica e fornecimento de farinha para a alimentação local no Arroio do Caracol. Outra construção feita no período da administração de Nunes é a casa onde funciona o Centro Histórico e Ambiental do Parque do Caracol.


Em 1954, o governo gaúcho declarou que as terras cobertas pelo Parque do Caracol eram de utilidade pública. Em 1968, as terras são transferidas para o Posto de Turismo do Estado, em Canela. Em 1º de agosto de 1973, o local é inaugurado como Parque Estadual do Caracol.


CONCESSÃO PÚBLICA

Depois de 49 anos sob administração do governo do Estado e da Prefeitura de Canela, em dezembro de 2022 o Parque do Caracol passou ao controle (licitação) do Consórcio Novo Caracol e Tainhas, formado pelo Grupo Iter e pela Pianura Participações.

PARQUE DO CARACOL EM NÚMEROS

50 anos da inauguração;


350 mil visitantes por ano, em média (dados desde 2010);


25 hectares;


10 lojas;


3 operações gastronômicas;


2 cascatas (Cascata do Caracol e Cascata do Moinho);


3 trilhas (Trilha do Silêncio, Trilha do Sonho e Trilha do Moinho);


3 vias (Via das Águas, Via da Araucária e Via dos Graxains);


4 mirantes (Mirante da Cascata do Caracol, Mirante do Moinho, Mirante do Aqueduto e Mirante das Corredeiras);


186 espécies de flora;


294 espécies de fauna;


150 empregos diretos e indiretos.


ENDEREÇO E INGRESSO

Endereço: RS 466, Caracol, Canela;

Funcionamento: diário, das 9h às 17h30 (última entrada até 17h);

Ingressos: adulto R$ 75;

Isenções: pessoas nascidas ou moradoras de Canela (documentação comprobatória), cadeirantes, guias de turismo inscritos na Cadastur, crianças até 5 anos;

Meia-entrada (R$ 37): pessoas nascidas ou moradoras de Gramado (documentação comprobatória), pessoas acima de 60 anos (documento oficial com foto), crianças (de 6 a 11 anos, documento oficial com foto), estudantes (carteira de estudante), PcD e acompanhante (laudo médico e/ou documento oficial com foto); Estacionamento: R$ 30.


* Com informações de Pauta Conexão e Conteúdo (editado)


Crédito foto Cascata do Caracol: divulgação


Crédito foto casal Wasem: Livro "Onde Tudo Começou - A Trajetória do Turismo de Canela"


Comments


bottom of page