1/2
  • Por Roque Tomazeli*

Altos da Viação Férrea: 25 anos da maior obra de moradia popular de Gramado

Atualizado: 11 de fev.

A Lei 1.421, de 21 de maio de 1996, no segundo governo do prefeito Pedro Henrique Bertolucci (PDS, atual PP) autorizou o Munícipio a adquirir uma área de terras de 44,3 mil metros quadrados (no Bairro Várzea Grande), a fim de construir um loteamento popular. O local foi, inicialmente, chamado de “Viação Férrea”, “Boca do Leão”, “Loteamento Novo” e, oficialmente, a partir de 1997, denominado de “Loteamento Altos da Viação Férrea”.

Autoridades na reunião comunitária para entrega oficial da obra de água e luz, em 1999


Com a área total fracionado em 266 lotes (81 destes à esquerda e 185 à direita do acesso principal ao loteamento) e os donatários definidos de acordo com os critérios estabelecidos pelo governo municipal 1992 – 1996, os terrenos começaram a ser ocupados ainda em 1996, especialmente na Rua Boca-de-Leão e Rua Alecrim.

Obra da rede de água no prolongamento da Rua Boca-de-Leão, em 1998


Na quase totalidade, os 266 lotes foram destinados à moradia das famílias selecionadas, mas também houve reservas para construções de estruturas públicas (escola, ginásio de esporte e praça, por exemplo), igrejas, e aos antigos proprietários da gleba adquirida pelo Município, como parte do pagamento.


O NOME DO LOTEAMENTO

O traçado do antigo leito da estrada de ferro, que subia da Estação Férrea da Várzea Grande, cruzava os limites da área de terras adquirida pelo Município para construir o loteamento. Em razão disso, sobre o local, diziam “lá nas populares da Viação Férrea”.

Vista a partir da Rua Rádio Floresta, com casas na Rua Alecrim ao fundo, em 1999


Outra denominação tinha a ver com a Rua Boca-de-Leão, no caso uma referência à flor. Então, usualmente, o loteamento passou a ser “lá nas populares da Boca do Leão (o animal)”.


“Loteamento Novo” também era citado como indicador do lugar (mas, naturalmente, deixaria de ser “novo” quando surgisse outro).


Para eliminar a confusão entre a Rua da Viação Férrea, no Bairro Três Pinheiros, com o nome provisório do loteamento (Viação Férrea), “Novo” e o pejorativo “Boca do Leão”, a partir de 1997, a Secretaria do Trabalho, Habitação e Ação Social, no terceiro governo de Nelson Dinnebier (PMDB, agora MDB), oficializou o nome de Loteamento Altos da Viação Férrea.


NOME DAS RUAS

Rua Pingo-de-Ouro: inicia nas imediações da Avenida do Trabalhador. O nome da rua diz respeito à planta ornamental pingo-de-ouro*;


Rua Boca-de-Leão*: o nome da rua é uma referência à planta do mesmo nome;


Rua Alecrim*: o nome da rua remete ao arbusto aromático do mesmo nome;


Rua Rádio Floresta**: homenagem à primeira emissora de rádio de Gramado, fundada por

iniciativa de Antônio Gonçalves da Silva (Antônio Macaco), na década de 1960;


Rua Terra Nova**: homenagem aos moradores de outros municípios que vieram para Gramado e foram morar no loteamento;


Rua da Integração**: homenagem aos moradores de todos os lugares que vieram para Gramado e foram morar no loteamento;


Rua das Colônias**: homenagem ao lugar onde está o loteamento, que anteriormente servira de terra para cultivo;

Rua Vista do Vale**; homenagem à excelente vista que o local oferece em relação às partes mais baixas do Bairro Várzea Grande e em direção à Vila do Sol, por exemplo;


Travessa da Locomotiva**: homenagem ao passado histórico de parte da localidade como antigo leito da estrada de ferro.


*Denominações em 1996.

**Denominações em 1997.


MAIOR EXPERIÊNCIA HABITACIONAL

Maior experiência habitacional de Gramado no campo popular, o Loteamento Altos da Viação Férrea hoje conta com escola de ensino fundamental, escola de educação infantil, ginásio de esporte, igrejas, água, luz, ruas asfaltadas, comércio (especialmente de alimentos) e praça de recreação.

Obra de eletrificação na Rua Rádio Floresta, em 1998


Segundo estimativa, nos 266 lotes do loteamento, muitos dos quais com mais de uma residência construída, possivelmente moram ao redor de 1,2 mil pessoas.


Transcorridos 25 anos da criação do Loteamento Altos da Viação Férrea, não houve mais construção de loteamentos para habitação popular em Gramado.


*O autor foi secretário do Trabalho, Habitação e Ação Social (1997-2000), no terceiro governo de Nelson Dinnebier (1997-2000). Esta publicação tem uma delimitação temporal, registrando o nascimento e primeiros passos do Loteamento Altos da Viação Férrea.


Texto atualizado às 9h55, do dia 11: Ação Social, e não "Assistência Social", como constou.


Crédito fotos: arquivo pessoal