1/2
  • Por Roque Tomazeli

Único em Gramado, Hospital São Miguel é pauta de debate na Câmara Municipal

A Câmara Municipal promoveu na terça-feira, 3, uma sessão especial para tratar do futuro do Hospital Arcanjo São Miguel (HASM). O encontro detalhou a intervenção do Município na gestão da Associação Franciscana de Assistência à Saúde (Sefas) e também apresentou as possibilidades de negociações de venda da instituição.

Intervenção do Município no hospital foi decretada em fevereiro de 2016


O Legislativo sugeriu diálogo entre a comunidade e os poderes públicos no que se refere aos próximos passos do HASM.


– Destacamos isso porque quando houve a intervenção a Câmara foi chamada. Na prática, queremos transparência – disse o presidente da Câmara Municipal, vereador Professor Daniel (PT).


DEPOIMENTOS

Secretário da Saúde, Jeferson Moschen:

São 65 meses de intervenção. Houve a necessidade dessa ação pela causa principal da manutenção do serviço prestado. Hoje o hospital está saneado, e por isso estamos tendo poucas justificativas técnicas e jurídicas para manter a intervenção. Manteremos a renovação da intervenção por mais 180 dias, no mesmo status em que ela está hoje, com a mesma comissão interventora. Sobre futuras negociações, nada está firmado.

Presidente do Conselho da Saúde, César Maciel:

Minha luta sempre foi para que a saúde de Gramado tivesse as melhores condições. Estamos decidindo por outras pessoas, porque a minoria da população depende exclusivamente do SUS. Por isso que a importância pública é muito maior do que a privada. Acredito que a intervenção foi bem feita, bem assessorada. Mas um dia vai chegar um fim. Acho que se pode buscar um caminho de desapropriação daquela área.

Promotor de Justiça, Max Guazzelli:

Foi aberto um inquérito civil em 2013, em razão das falhas no atendimento à saúde do hospital, quando a Sefas ainda não estava na gestão. Os piores problemas aconteciam na emergência, e depois que a congregação assumiu continuaram as falhas. Entretanto, houve toda uma precariedade de gestão e eu não saberia explicar o porquê disso. Atendemos ao SUS e aos conveniados. Antes da intervenção o hospital estava sucateado. Hoje temos a evolução das melhorias documentadas.

Vice-prefeito, Luia Barbacovi:

Os resultados positivos da intervenção são notórios por meio de todo o melhoramento e da presença do setor público com repasses e de emendas. Mas especialmente hoje nós temos o pertencimento, porque não importa se o hospital é privado, ele vai ser sempre de Gramado. Nós temos essa responsabilidade. Por isso que adiantamos que não existe nenhuma negociação do São Miguel que desconsidere o SUS.


RECURSOS

Ainda na terça-feira, em sessão extraordinária, a Câmara Municipal aprovou um projeto de lei do Executivo autorizando a transferência de recursos do Estado de até R$ 100 mil ao HASM.


Crédito foto: Roque Tomazeli